A introdução alimentar da Valentina – Parte 1

April 1, 2016

 

 

Introduzir alimentos no dia-a-dia de um bebê que está acostumado apenas com o leite materno ou com fórmula é empolgante, mas desafiador.  A Valentina, desde a metade do primeiro mês de vida estava apenas tomando fórmula e então com 5 meses e duas semanas de vida a pediatra orientou e eu senti que era a hora de começar a introdução alimentar. Ela se mostrava bastante interessada no que comíamos sempre nos observava com uma carinha de vontade, então imaginei que seria muito fácil.

 

Todo o “arsenal” para essa fase já estava pronto, eu bastante empolgada, mas com medo do desconhecido, e se ela não gostar? E se for difícil? E se ela começar a perder peso?

O grande dia chegou e a primeira fruta oferecida foi mamão, ela fez uma cara de muito nojo e praticamente cuspiu tudo. Eu fiquei um pouco frustrada porque imaginei que de imediato ela já iria avançar na fruta (mães de primeira viagem e seus “achomêtros”).

Como recomendação médica, cada alimento quando for oferecido pela primeira vez deve ser repetido por no mínimo 3 vezes e de preferência sem muitos acompanhamentos para observação de uma possível reação alérgica e para influenciar o bebê a conhecer os gostos de cada alimento.

 

A partir do segundo dia tudo começou a fluir e eu não tenho do que me queixar, a minha pequena come de tudo sem muito esforço da minha parte. Lembrando que as refeições dela não contém açúcar, sal, engrossantes industrializados, óleo, papinhas industrializadas. (Obs: não condeno nenhum desses, apenas defendo a seguinte causa, se o bebê está se alimentando bem com tudo fresquinho que é oferecido e sem adicionar nada para mascarar o sabor, o uso de qualquer ingrediente citado torna-se dispensável).

Durante uma semana ela comia apenas fruta, uma pela manhã e outra a tarde, claro, juntamente com o leite. Logo iniciamos o almoço e depois de mais uma semana a janta, o esquema ficou o seguinte:

 

1º SEMANA:

1º a 3º dia – 1 fruta de manhã

4º a 7º dia – 1 fruta de manhã/ 1 fruta de tarde

 

2º SEMANA:

1º a 7º dia – Fruta de manhã/ Almoço/ Fruta de tarde

 

3º SEMANA:

1º a 7º dia – Fruta de manhã/ Almoço/ Fruta de tarde/ Janta

 

 

No início me vieram muitas dúvidas: quantidade, texturas, temperos, frequência. Não tem jeito, por mais que a gente leia, não existe fórmula pronta, cada mãe deve seguir seu instinto e respeitar as vontades e necessidades do seu bebê.

  • A quantidade: gradativamente vai aumentando e vamos “sentindo” se devemos dar mais ou menos.

  • As texturas: procuro oferecer sempre de forma variada, um alimento amassado, outro ralado, outro picadinho e sempre ir variando, o mesmo alimento de várias formas.

  • Os temperos: sempre naturais, o que aprendi com a Valentina é que uma comida bem temperada dispensa o uso do sal.

  • Frequência: alguns dias eles irão comer tudo respeitando a rotina, mas alguns dias eles não vão aceitar o alimento sólido e vão querer ficar mais no leite (épocas atípicas no comportamento dos bebês: nascimento dos dentes, angústia da separação da mãe, saltos de desenvolvimento, alguma virose ou qualquer problema de saúde) acredito que a hora de comer tem que ser prazerosa então não costumo forçar para que ela coma.

 

Devemos lembrar que o início da introdução alimentar reflete muito nos anos seguintes, essa fase é a formação de hábitos alimentares então todo esforço valerá a pena!

Em geral o que tenho feito tem surtido resultados maravilhosos, então deixo algumas dicas do que tem funcionado comigo:

 

- Ofereça primeiro tudo sem sal ou açúcar, eles mascaram o sabor, e o que queremos é que o bebê aprenda a gostar do sabor de cada alimento individualmente, se mesmo após 15 vezes (o número de vezes que o bebê pode recusar o alimento) seu bebê não aprovar, então creio que poderá iniciar o uso em pequenas quantidades.

-Mescle as texturas e cores, ofereça a cenoura ralada, amassada, picadinha até perceber o que mais agrada seu bebê e mesmo assim continue variando pra que ele adquira hábitos saudáveis.

-Ao invés de engrossantes industrializados que contém açúcar em sua fórmula, use cereais para criar receitas inusitadas. Bons exemplos são: amaranto, aveia e linhaça, excelentes fontes de fibra.

-Tente não ficar presa à papinhas batidas, essas sopinhas com tudo muito misturado faz com que o bebê não saiba o sabor de cada alimento, logo ele poderá enjoar da comida e regredir no processo de introdução alimentar.

-Não se prenda aos seus gostos, ofereça mesmo o que você não gosta, o seu bebê pode ter gostos diferentes e acabar aprovando coisas azedas, por exemplo.

-Não acostume seu filho a comer em frente à tv ou tablets, a hora da refeição deve ser sagrada e divertida, crie um ambiente favorável onde ele tenha prazer em participar.

-Não substitua as refeições por leite todas às vezes! Claro que nos dias atípicos em que o bebê não está bem pode-se oferecer o peito/mamadeira, mas nos dias comuns tente impor a refeição àquele horário específico, dessa forma o bebê aos poucos começará a entender que existe uma rotina.

-Se o bebê não está se adaptando, tente mudar algumas coisas, os temperos, o lugar em que ele está sentado pra comer, ou até mesmo uma colher diferente pode transformar tudo.

 

Bom, lembrando que todas as dicas repassadas são fontes de pesquisa e vivência de uma mera mãe, ou seja, procure um profissional para te auxiliar nesse processo e o mais importante: não desista! Se o seu bebê tem se mostrado relutante, não jogue tudo para o alto, continue tentando, uma hora vai dar certo!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

17 Jun 2020

12 Feb 2020

Please reload

© 2016 by Apenas Mãe. Created by LUXLINE FILM & DESIGN

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now