Meu Parto - Parte 1

March 1, 2016

 

 

 

A Tão sonhada maternidade... muito tempo antes de engravidar já pensava sobre meu parto e na minha mente não tinha outra ideia a não ser o parto normal. Eu nasci assim e minha mãe em seus relatos  sempre transmitia a tranquilidade da recuperação de um parto natural e nunca me aterrorizou quanto ao que poderia acontecer de errado (apesar de que, hoje, vejo que ela sofreu algumas violências obstétricas que poderiam ter sido evitadas).

 

Engravidei e logo comecei a pesquisar sobre os tipos de parto, conversar com algumas mães sobre suas experiências e me deparei com o documentário “O Renascimento do Parto”, assisti, me emocionei, me indignei com algumas realidades relacionadas às cesárias desnecessárias e com o pouco conhecimento da maioria das mulheres. Esse documentário é muito informativo e impactante, vi procedimentos feitos no bebe recém-nascido que me chocaram. Nada contra quem optou pela cesárea, mas eu literalmente fiquei com pavor dessa cirurgia, logo eu que morro de medo de agulhas, anestesias e afins.

 

Decisão tomada, eu não queria apenas meu parto normal, porque ainda existem alguns procedimentos desnecessários num parto com essa nomenclatura, eu passei a sonhar com a vinda da minha filha de forma humanizada, onde as intervenções seriam sim muito bem vindas SE NECESSÁRIAS.

Nas primeiras consultas logo questionei à médica quando poderíamos falar sobre o parto, já que eu havia tomado minha decisão e gostaria de me informar o máximo possível sobre essa escolha. Infelizmente não tive apoio e as palavras dela fizeram com que eu nem voltasse mais ao consultório, eu estava com 12 semanas.

 

Minha mãe havia feito exercícios durante sua última gestação (tenho uma irmã de 6 anos) e me indicou um espaço onde as gestantes se reúnem para fazer hidroginástica e principalmente, onde há muitas palestras informativas sobre o parto, amamentação e uma equipe completa que dá todo o suporte, lá me indicaram um médico-anjo Dr Alexandre Soares que acompanhou o restante da minha gestação e meu parto.

O Núcleo Gestar Feliz foi onde convivi com outras gestantes, trocamos figurinhas, dúvidas, medos, dicas, listas de enxoval, foi onde fiz atividades físicas que me ajudaram a continuar ativa até a Valentina nascer, foi onde conheci minha doula, Dra Wilma Manduca, que também é um anjo, uma pessoa maravilhosa que me encorajou, me empoderou e me disse tantas vezes que eu seria capaz. A cada semana uma nova colega dava a luz e todas ouvíamos atentas os relatos das doulas que acompanharam o parto enquanto fazíamos a hidroginástica. Quantas colegas que diziam “Eu não vou conseguir” e na semana seguinte ouvíamos o quão forte elas foram e isso nos enchia de coragem.

 

No fim da gestação, quando estava com 34 semanas fizemos uma oficina de parto que o núcleo oferece, onde tivemos a oportunidade de nos informar sobre como realmente acontece o parto, aprendemos exercícios para ajudar durante o trabalho de parto ativo, soubemos quais os sinais informam que o parto está próximo, enfim, saímos de lá sabendo  tudo que aconteceria passo a passo. É importante dizer que nessa oficina os papais também participaram pois no momento do parto a presença do cônjuge é fundamental!

 

Completei então 37 semanas e numa consulta de rotina descobri que a neném estava encaixada e estava com 1 cm de dilatação, mas será que ela já vai nascer?!?!

 

Continua no próximo post ....

Please reload

17 Jun 2020

12 Feb 2020

Please reload

© 2016 by Apenas Mãe. Created by LUXLINE FILM & DESIGN

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now